telefone(85) 4009.6300

Seminário na AL debate o fortalecimento do Setor Produtivo no Ceará

28/06/2016 - 11h06

Com o objetivo de iniciar um processo participativo que contribua para o fortalecimento da governança do setor produtivo do Ceará, a Assembleia Legislativa, por meio do Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos, realizou na tarde desta segunda-feira (27/06), no Complexo das Comissões Técnicas da Casa, seminário com a temática.

O deputado Sérgio Aguiar (PDT), primeiro secretário da Casa, e autor da iniciativa, informou que esse encontro é para que os quatro eixos interinstitucionais que compõem o setor produtivo do Estado, como o setor privado, formado pelo comércio e serviços, indústria, agronegócios e turismo; o Governo Estadual e Municipal; a classe política e academia, que são as instituições técnicas de ensino e pesquisa, possam compreender o novo processo de congregar as mais variadas instituições que representam esses setores para uma política de desenvolvimento de produção única. "Com isso, nós fazermos com que a pluralidade de ideias que existem hoje nos diversos segmentos possa ser condensada e a partir desse seminário, o Conselho de Altos Estudos possa trabalhar com a nova semente para um pacto de discussão do Conselho e da Assembleia Legislativa com a sociedade", afirmou.

O parlamentar lembrou que o Ceará é a oitava população do País e ocupa a 12ª posição em termos econômicos. Ele adiantou ainda que os resultados econômicos obtidos nos últimos anos “demonstram a existência de condições favoráveis para o Ceará crescer com melhoria significa dos indicadores”.

O secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), Cláudio Ferreira Lima, fez uma explanação sobre o panorama da Governança do Sistema Produtivo Cearense, a partir da visão do Estado. Apresentou dados da Estrutura da secretaria, que ele chamou de Sistema SDE, com quatro pontos: as políticas estratégicas, a promoção de negócios, os acordos e investimentos e os pequenos negócios.

Segundo Cláudio Ferreira, um dos objetivos da SDE é aumentar o Produto Interno Bruto (PIB), expandindo os investimentos e as exportações para que o PIB se transforme em melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH). "O nosso perfil econômico é muito tradicional. Ainda é muito forte a nossa formação econômica do gado e do algodão. Daí a necessidade de avançar para um perfil econômico mais moderno", declarou.

Para o professor Almir Bittencourt da Silva, titular do departamento de Economia Aplicada da Universidade Federal do Ceará (UFC), as universidades

​ ​​podem contribuir com o fortalecimento do setor produtivo nas áreas de qualificação de pessoal, já que, segundo ele, essas instituições detém um​ ​conhecimento bastante avançado no que diz respeito a formação de pessoal em todos os níveis, como graduação e pós-graduação.
Um exemplo exitoso de modelo de Governança do Setor Produtivo foi apresentado pelo ex-prefeito de Maringá (PR), Sílvio Barros. "O conceito de desenvolvimento adotado por Maringá partiu da sociedade e não do Governo, que teve esse entendimento de continuidade. As lideranças da sociedade civil organizada se mobilizaram no sentido de compreender que o futuro da cidade para 10, 15 ou 20 anos teria que ser compartilhado como Poder Público", explicou.

Participaram também do seminário, o deputado Carlos Matos (PSDB), Euvaldo Bringel, secretário adjunto da secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), representando o Governador Camilo Santana; Flávio Saboiá, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faec); Heitor Studart, representante da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec); Ranieri Leitão, vice-presidente da Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio);  Eudoro Santana, presidente do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor), além de empresários e demais representantes dos setores produtivos de Fortaleza e do Estado.

Cabe ressaltar, que ​​para o representante da FIEC, Heitor Studart, a indústria se insere nessa nova missão, nesse novo momento que o Brasil passa. Salientou que o Presidente, Beto Studart, desde que assumiu a FIEC, levantou a bandeira da inovação e capacitação, e assim vem trabalhando em prol de uma indústria forte e atuante.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

FIEC - Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024 - CNPJ: 07.264.385/0001-43
Política de Privacidade & Copyright