telefone(85) 4009.6300

Painéis do auditório Waldyr Diogo focam no cenário nacional de hidrogênio verde

03/08/2022 - 21h08

Durante a tarde desta quarta-feira (03/08), no auditório Waldyr Diogo, na Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), dois painéis foram realizados, com foco no Programa Nacional do Hidrogênio e no Cenário Nacional do Hidrogênio Verde.

Durante o primeiro painel, que teve a moderação de Roseane Medeiros, Vice-Presidente da FIEC e Secretária-Executiva da Indústria da SEDET, Roseane destacou o potencial que o Ceará tem para a energia renovável e o quanto o estado tem trabalhado e se preparado para o desenvolvimento destas potências. “ Hoje é um dia de grande importância, nosso estado está avançando cada vez mais no que se refere a hidrogênio verde, criando regulações, infraestrutura necessária, entre outras ações. Sabemos que muitos são os desafios e, por isso, esse painel é de suma importância, mostrando as regulamentações”, destacou.

A primeira palestrante foi Agnes da Costa, Chefe da Assessoria Especial em Assuntos Regulatórios do Ministério de Minas e Energia. Agnes apresentou a evolução do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2), incluindo propostas de diretrizes, histórico do hidrogênio no Brasil, contexto internacional, visão de futuro, objetivos, eixos e diretrizes, além de governança e referências. Ela destacou ainda que, em 60 dias, membros do Programa Nacional do Hidrogênio participaram de mais de 25 reuniões com stakeholders em eventos nacionais e internacionais.

O hidrogênio verde no contexto do Programa Combustível do Futuro

Ainda durante o primeiro painel da tarde, Fábio Vinhado, Diretor do Departamento de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, apresentou o Programa Combustível do Futuro, que tem como objetivo incrementar o uso de combustíveis sustentáveis e integrar as políticas públicas para combustíveis e transportes. “É muito importante que possamos debater sobre biocombustíveis e como essas fontes podem contribuir com a redução da emissão de gases de efeito estufa”, disse Fábio.

Perspectivas para o Hidrogênio no PDE 2031

O palestrante Gustavo Pires da Ponte, Superintendente adjunto da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), trouxe ao evento as perspectivas para o hidrogênio verde que aparecem no Plano Nacional de Energia 2050 e o destaque que o Brasil tem como potencial exportador de hidrogênio verde, uma vez que há evidente avanço na demanda mundial por energia limpa.

“O Plano da EPE aponta o potencial e a diversidade de fontes de produção de hidrogênio no Brasil como  vantagens competitivas do país”, afirmou Gustavo. 

Cenário Nacional do Hidrogênio Verde

Já José Firmo, CEO do Porto do Açu, apresentou as oportunidades do Porto e as capacidades de infraestrutura. “ O Porto do Açu tem boa parte das suas operações voltadas à energia, incluindo a movimentação de óleo e o atendimento de demandas da produção offshore. O Porto já conta com um hub de petróleo, estrategicamente localizado para a exportação de petróleo do pré-sal.

Oportunidades de Investimentos em hidrogênio no estado de Minas Gerais

Ronaldo Barquette, Diretor de Atração de Investimentos da INVEST Minas, órgão do Governo de Minas Gerais responsável pela atração de novos investimentos para o estado, destacou razões pelas quais Minas é referência em energias renováveis. Segundo maior mercado consumidor do Brasil; Casa do agro brasileiro com disponibilidade de terras, elevada geração de biomassa e resíduos orgânicos; valiosos recursos naturais - água, solo, minerais para indústria base (baterias) e vento e capital humano altamente capacitado.

O Hub de Energia do Porto Central

Jessica Chan, Gerente Comercial do Porto Central, complexo industrial portuário do Município de Presidente Kennedy/ES, sul do Estado do Espírito Santo apresentou a primeira fase do Porto Central, voltada para os setores de óleo e gás natural e destacou o Hub de energia sustentável. "O mercado de energia do Brasil está em pleno vapor; exploração e produção de petróleo e gás, abertura do mercado de gás, abundância de energia renovável, o que torna o Brasil o lugar certo para investimentos em infraestrutura energética”, destacou.

Tech Hub H2 Verde Suape

Já Carlos Cavalcanti, Diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Porto de Suape, fez uma apresentação sobre as potencialidades do porto e sobre o Tech Hub H2 Verde Suape, projeto focado na produção, transporte, armazenamento e gestão de hidrogênio verde. Ele destacou ainda o Distrito Industrial "verde", do Instituto de Inovação do SENAI de Pernambuco, como realizador de grandes projetos na área de sustentabilidade, incluindo a plataforma digital com tecnologia "blockchain” que visa traçar caminhos para projetar a produção de hidrogênio verde e conectar a oferta com a demanda, por meio da variedade de mecanismo de comercialização, aceleração e transição energética.

Para fechar o ciclo de painéis do dia, Marcel Haratz, Fundador e CEO da Nexway Eficiência, palestrou sobre a oportunidade do Nordeste no mercado de hidrogênio verde e sobre a assinatura do memorando de entendimento para produção de hidrogênio verde no Ceará.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

FIEC - Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024 - CNPJ: 07.264.385/0001-43
Política de Privacidade & Copyright