telefone(85) 4009.6300

Comitiva Nacional do Programa da CNI Conhecendo a Indústria visita o Complexo Industrial e Portuário do Pecém

13/06/2022 - 18h06

A comitiva formada por participantes do Programa Conhecendo a Indústria, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), e representantes da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), da Superintendência Desenvolvimento Amazônia (Sudam), do Banco da Amazônia (Basa), do Ministério do Desenvolvimento Regional (MRD) e da Advocacia-geral da União (AGU) seguiram, nesta sexta-feira (10/06), para visita técnica ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP).

A programação, iniciada na quinta-feira (09.06), teve como objetivo central promover a troca de experiências entre formuladores de políticas públicas e representantes da indústria para a compreensão das práticas do setor, além do estímulo à fomentação de políticas voltadas para a área. Durante o dia, os participantes puderam conhecer o Porto do Pecém e a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP).

A visita iniciou no Bloco de Utilidades e Serviços do Porto do Pecém, no qual foi apresentado um vídeo sobre o desenvolvimento da joint venture, formada pelo Governo do Ceará e o Porto de Roterdã. No local, o grupo foi recepcionado pela Diretora Executiva de Relações Institucionais do CIPP, Rebeca Oliveira. 

Segundo ela, o Porto do Pecém é a grande máquina giradora da movimentação no Ceará e está aberto a receber as pessoas e instituições. "A FIEC é nossa parceira, inclusive com o Hidrogênio Verde, já a Sudene é muito necessária, pelos investimentos que são dado às indústrias que possivelmente irão se instalar no Ceará, fomentando o Nordeste como um todo. Com a Sudene fomentando os outros estados, as cargas acabam saindo pelo Porto do Pecém", completou.

Ida à CSP

A comitiva conheceu toda a infraestrutura do Porto do Pecém, saindo do Portão 1 e indo até o Terminal de Múltiplo Uso, passando pelos píeres e pelo pátio de armazenagem. São mais de 380 mil metros quadrados de espaço, com capacidade para retenção de pás eólicas e placas de aço, por exemplo.

Em seguida, o grupo foi recebido pelo Presidente da CSP, Marcelo Botelho e pelo Gerente Geral de Relações Institucionais e Comunicação da empresa, Ricardo Parente. Eles apresentaram as atividades da siderúrgica e o trabalho social e ambiental desenvolvido na região. Atualmente, a CSP exporta para mais de 20 países do mundo, além de suprir a demanda do mercado interno.

Conforme Botelho, a visita do grupo à CSP é de uma importância enorme, pois "é uma iniciativa dos órgãos que regulam e definem nossas políticas de incentivo e de crescimento do país. É importante porque dá para entender a nossa realidade, as coisas boas que a gente gera, mas também onde aperta nosso calo. Tem que parabenizar a iniciativa, e vamos trabalhar para as coisas melhorarem", afirmou.

Após a palestra, o grupo pôde observar como funciona a siderúrgica passando por suas estruturas e conhecendo o local de finalização daa feitura de placas de aço, cuja temperatura chega a 1000º C.

Balanço da visita

De acordo com Rogério de Oliveira Castro Vieira, Relações Governamentais da CNI, após um dia no qual houve uma congregação de interesses e esforços para a renovação dos incentivos, o segundo dia foi para passar do teórico para o prático. "Conhecer o porto, ver a importância de um investimento daquela envergadura incentivado, conhecer também a siderúrgica, mostrando claramente o potencial significativo de transformação da região. É mostrar cada centavo que faz parte desses recursos que a gente está brigando agora para que tenham continuidade através dos incentivos da Sudam e da Sudene, para mostrar claramente na prática como isso funciona, sendo bem aplicado, como esses exemplo, mostram um impacto significativo", avaliou.

Na visão do Coordenador Geral de Incentivos e Benefícios Fiscais e Financeiros da Sudene, Silvio Carlos do Amaral e Silva, foi um prazer ter sido recebido no Ceará pela direção da FIEC no grupo de visita da CNI. "A atenção que nos foi dispensada é uma coisa que a gente vai guardar para sempre. O que se precisa é justamente isso: alertar a gente de que esse incentivo é finito, e a gente tem que cuidar da renovação dele", ressaltou.

Érica Gonzales, Assessora Especial do Ministério do Desenvolvimento Regional, afirmou que levará da visita não só a boa recepção, mas também dados que mostram como as indústrias geram empregos na região. "Há números de empregos diretos e indiretos, que são resultados mais eficientes e mostram a funcionalidade de uma política pública. O que mais me chamou atenção nas apresentações foram os resultados em números, e foi muito bom ver de perto como funciona essa geração de empregos", disse. 

Conhecendo a indústria

O Programa Conhecendo a Indústria, idealizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), consiste na troca de experiências entre formuladores de políticas públicas e representantes de unidades fabris, com o acesso à realidade do dia a dia do chão de fábrica, que possibilita aos convidados um incremento positivo no entendimento para a praticidade das futuras decisões burocráticas que impactarão no processo produtivo da indústria.

O tema da visita desta edição foi a renovação dos incentivos da Sudene e Sudam que acaba em 31 de dezembro de 2023.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

FIEC - Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024 - CNPJ: 07.264.385/0001-43
Política de Privacidade & Copyright