telefone(85) 4009.6300

FIEC lança projeto "Mulheres e Territórios Vivos" em parceria com a Defensoria Pública do Estado do Ceará

30/07/2020 - 13h07

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e a Defensoria Pública do Estado do Ceará (DPCE), por meio da Rede Acolhe, lançaram o projeto “Mulheres e Territórios Vivos”. O objetivo é fortalecer novos modelos de negócio, que possibilitem a inserção laboral de mulheres que sejam familiares (mães, avós ou parceiras) de jovens assassinados, visando minimizar sua situação de vulnerabilidade através do empreendedorismo social.

A iniciativa é resultado de uma articulação feita no âmbito do Masterplan de Segurança Pública.

"A FIEC é uma catalisadora dessa articulação. Depois que a Defensoria fizer o mapamento, nós faremos a ponte para que essas mulheres encontrem a melhor forma de se desenvolverem. Também faremos indicadores para acompanhar os resultados do projeto e verificar a sua escalabilidade", explica Mariana Biermann, pesquisadora do Observatório da Indústria da FIEC.

Na última quarta-feira (29/7), a DPCE deu o pontapé inicial do projeto, com o começo do mapeamento das famílias atendidas pela Rede Acolhe para localizar mães solo ou que tiveram filhos assassinados e estejam em dificuldades financeiras.

No projeto, a ideia é incentivar pequenos negócios e o empreendedorismo dessas famílias, cujo empobrecimento já existia e foi agravado com a morte de um dos mantenedores da casa, para as mulheres serem reinseridas no mercado de trabalho e, assim, contornarem essa vulnerabilidade. O mapeamento vai indicar, portanto, em qual área cada mulher interessada em participar do projeto atua.

“Quando a gente fala em homicídio, as pessoas pensam automaticamente na morte e na dor da família. Mas existem várias outras repercussões. Uma delas é o agravamento de vulnerabilidades. E não só vulnerabilidade psicossocial e psiquiátrica para fins de saúde mental e física, mas também uma vulnerabilidade financeira. Muitas vezes, se perde o arrimo de família, aquela pessoa que sustentava a casa. Ou o adolescente que colaborava de algum modo para a economia doméstica. Então, dentro da missão institucional da Defensoria, por que não articular alguma ação para minimizar essa vulnerabilidade?”, pontua a defensora pública Lara Teles.

Dados apontam para a inserção precoce de adolescentes no mercado de trabalho e indicam que 78% dos jovens assassinados no Ceará já apresentavam experiência laboral, sendo ela formal ou informal (CCPHA, 2016). Nesse sentido, além da perda afetiva e das consequências emocionais negativas da morte desses jovens, o impacto resvala também na subsistência financeira familiar. Tal impacto recai de forma predominante na mãe da vítima, a qual, majoritariamente, é a responsável familiar primária, posto que desde 2014 há o crescimento de famílias monoparentais em que a mãe se constitui como a responsável, conforme aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no senso de 2014.

Sobre o Masterplan

O Masterplan é uma continuidade do projeto Rotas Estratégicas Setoriais cujo objetivo é construir estratégias de desenvolvimento setorial com implantação de portfólios de projetos de alto impacto, possibilitando sinergia de esforços e investimentos dos agentes responsáveis pelo desenvolvimento do Estado. No Masterplan, são feitas as articulações para transformar as ações apontadas nas Rotas Estratégicas Setoriais em projeto.

O Masterplan de Segurança Pública tem como intuito transformar em projetos a agenda prioritária construída coletivamente, contemplando as dimensões de Segurança e Defesa Social, Prevenção, Governança, Sistema Prisional e Sistema Socioeducativo.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

  • CENTRO INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS: Facebook
Sistema FIEC - Sistema Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024
POLÍTICA DE PRIVACIDADE & COPYRIGHT