Rotas Estratégicas discutem Turismo e Economia Criativa

A situação atual, visão de futuro, barreiras e fatores críticos e proposição de ações para os setores de Turismo e Economia Criativa no Ceará estão sendo discutidos hoje e amanhã (5 e 6 de abril), sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). A atividade faz parte das Rotas Estratégicas, integrante do Programa para Desenvolvimento da Indústria. Especialistas dos setores participam das discussões. A iniciativa é do Núcleo de Economia e Estratégia da FIEC.

Para contextualizar os participantes e estimular o debate inicial, o economista da FIEC, Guilherme Muchale, apresentou estudo socioeconômico, elaborado pelo Núcleo de Economia e Estratégia, com as principais informações dos setores. O Turismo engloba os segmentos de alojamento, locação, alimentação, agências, transporte, atividades de recreação e lazer. Na Economia Criativa, estão os subsetores de patrimônio, artes, mídia e criações funcionais.

A Economia Criativa é 2,7% do PIB brasileiro, colocando o país em 14º lugar em termos mundiais. O Brasil está em 27º lugar em termos de valores gerados por indústrias criativas, correspondendo a 0,51% de todo o valor gerado no mundo. O turismo brasileiro corresponde a 2,5% das riquezas geradas pelo Turismo no mundo, colocando o país em 10º lugar. Quanto às despesas com turismo, os países desenvolvidos apresentam maior média de valor, o que, segundo Muchale, faz com que seja importante a divulgação do Brasil como destino turístico nesses países. Atualmente, os principais turistas que vem ao Brasil são da Argentina (quase um terço), Estados Unidos, Chile e Paraguai.

O Ceará é o 9º estado em desembarque de turistas. Quanto aos empregos, o estado fica em 10º lugar, com o turismo de lazer como principal motivação, mas com crescimento o turismo de negócios e a participação em congressos e eventos. 8,4% dos turistas que vem para o Ceará são internacionais. As principais regiões turísticas são Fortaleza, litoral e Cariri, com Juazeiro do Norte em destaque. A maioria dos leitos de hospedagem está em Fortaleza, mas Cariri também tem participação importante nesses números. A mesma distribuição acontece com os empregos na área. A remuneração média dos trabalhadores é R$1200. O baixo valor reflete a escolaridade, analisa Muchale. Apenas 4,6% dos trabalhadores têm nível superior.

Quanto à Economia Criativa, o Ceará aparece em 10º lugar em quantidade de empregos no setor, estando a maioria em Fortaleza. Nos últimos cinco anos, houve aumento de 20% nos empregos gerados nesse setor. A área de patrimônio é a que mais emprega. A remuneração média do segmento no Ceará é de R$1500, colocando o estado em 19º lugar nesse aspecto.

O Ceará é o 6º estado em matrículas em cursos técnicos das áreas de Turismo e Economia Criativa, estando a maioria localizada em Fortaleza, na área de hospedagem e guia de turismo e telecomunicações. São 72 cursos de graduação no Ceará, desses, 60 estão em Fortaleza, 4 em Juazeiro e 3 em Sobral. São 3 mestrados nessa área.

Rotas Estratégicas
As Rotas Estratégicas Setoriais – 2025 são uma iniciativa do Sistema FIEC com vistas a elaborar roadmaps, ou seja, mapas de trajetórias a serem percorridas para materializar, em até dez anos, o potencial percebido em cada um dos setores e áreas identificados como promissores para o Estado.

O projeto contém as seguintes etapas: estudos preparatórios; reuniões participativas denominados painéis de especialistas com agentes do governo, iniciativa privada, academia e terceiro setor; consulta eletrônica; sistematização e validação dos conteúdos.

(85) 3421.5916 / Av. Barão de Studart, 1980, Aldeota - Fortaleza-CE
© Todos os direitos reservados ao NUMA