Indústrias cearenses começam a aplicar a Nanotecnologia em projeto piloto no país

05/10/2017 - 17h10

Três indústrias cearenses do setor químico começaram nesta quinta-feira (5/9) o desafio de aplicar a Nanotecnologia em seus processos, produtos e materiais. A largada para esse projeto piloto foi dada durante o Seminário Nanotecnologia para Indústria Brasileira, realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), em Fortaleza. Quase 70 empresários, representantes de instituições, pesquisadores e estudantes lotaram o auditório Luiz Esteves Neto para conferir como as micro, pequenas e médias empresas podem aplicar a Nanotecnologia no seu dia a dia de forma a melhorar a competitividade, conhecendo o que existe nas universidades locais,  e que tipos de financiamentos estão disponíveis para concretizar essa intenção tecnológica. O Seminário acontece em uma data especial: Dia da Micro e pequena empresa brasileira e a comemoração dos 45 anos do Sebrae.

O presidente do Sindquímica Ceará, Marcos Soares, abriu o evento destacando que o projeto piloto será conduzido no próximo ano a partir de um conjunção de apoios como a Confederação Nacional da Indústria, Sebrae e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. "A aplicação de conteúdo tecnológico na indústria é primordial para que as mesmas possam alargar suas competitividade e produtividade. Para isso, a FIEC tem sido uma obstinada pela inovação e na busca de conhecer avanços tecnológicos resultantes do alinhamento com a academia. O seminário é um bom exemplo disso", reforça.

O presidente do Conselho Temático de Inovação e Tecnologia da FIEC (Cointec), Sampaio Filho, enfatizou que termos como Indústria 4.0 e Nanotecnologia devem ser abraçados para sobrevivência das empresas. "Além de seminários como esse, a FIEC apoiará outro evento agora em outubro, nos dias 27 e 28, no Centro de Eventos do Ceará, reunindo startups para melhorar ainda mais esse ambiente de inovação e transferência tecnológica na indústria cearense", anunciou.

O analista de política industrial, Cristiano Silva, representou a Confederação Nacional da Indústria no evento. Ele aconselhou às industrias cearenses que busquem fazer diferente por meio das propriedades tecnológicas da nanotecnologia. "Financiamento existe para desenvolver a técnica por meio do Inovacred", mostrou.

O articulador da unidade setorial da indústria do Sebrae Ceará, Herbart dos Santos, e a especialista em Nanotecnologia da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Cleila Guimarães, também prestigiam o evento.

O seminário prossegue mostrando casos de sucesso nacionais e regionais executados a partir da aplicação na Nanotecnologia e com uma rodada de negócios com bancos e instituições de apoio. Amanhã (6/9), ganha um espírito itinerante e levará os participantes a conhecer um laboratório de Nanotecnologia da Universidade Federal do Ceará e uma das empresas que está mais apta a aplicar a tecnologia de nanotecnologia nesse momento.

O Seminário Nanotecnologia para a Indústria Brasileira é fruto do acordo entre a Confederação Nacional da Indústria e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, buscando a conjugação de esforços para a estruturação e execução de ações com vistas à promoção da inovação e do desenvolvimento tecnológico e industrial brasileiro, tendo como foco a nanotecnologia. Depois do Ceará, o projeto será multiplicado pelo país em estados como Santa Catarina e Bahia.

O evento é uma realização do Sistema FIEC em parceria com o Sindquímica, Sebrae, Confederação Nacional da Indústria (CNI), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Governo Federal e Sindquímica.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

Sistema FIEC - Sistema Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024